A Mulher dos Três Desejos
A Pedra dos Três Pontões é um símbolo paisagístico e ambiental de Afonso Claudio, um orgulho para todos os moradores.
Alunos da Escola de Ensino Fundamental José Cupertino e Ponto de Cultura Animazul / IMA

--------------

--------------

A Mulher dos Três Desejos
Alunos da Escola de Ensino Fundamental José Cupertino e Ponto de Cultura Animazul / IMA
Sinopse
A Pedra dos Três Pontões é um símbolo paisagístico e ambiental de Afonso Claudio, um orgulho para todos os moradores.
Técnicas Utilizadas
2D | Massinha | Pixilation | Recorte
Podcast

Narrador 1 O Instituto Marlin Azul apresenta “A Mulher dos Três Desejos”.
Narrador 2 Este podcast faz parte do Projeto Cine Animazul, realizado pelo Instituto Marlin Azul, com recursos do Funcultura, Secretaria de Cultura do Governo do Estado do Espírito Santo.

Narrador 1 “A Mulher dos Três Desejos” é um filme de animação de curta metragem realizado pelos alunos da Escola de Ensino Fundamental José Cupertino, de Afonso Cláudio, Espírito Santo. Vamos conhecer mais sobre o filme?

Narrador 2 O filme começa com a personagem que dá título ao filme. A senhora dos três pedidos que vivia na floresta. Mas para chegar até essa mulher, os demais personagens precisam enfrentar uma série de obstáculos.

Narrador 1 Areia movediça. Ninho de cobras. Uma cachoeira imensa. Obstáculos quase intransponíveis!

Narrador 2 Tanto que quase ninguém conseguia chegar até a mulher dos três desejos.

Narrador 1 Os obstáculos eram necessários para impedir a chegada até essa mulher mística, que vivia isolada. Assim, os pedidos funcionavam também como recompensa pelo esforço, porque só quem era realmente merecedor é que teria os três desejos realizados.

Narrador 2 Pois é, mas o homem que chega até a mulher é um homem mau. Ele não é merecedor. Ao contrário, é egoista e ambicioso.

Narrador 1 E isso é uma quebra de expectativa. Essa não é a única história em que um personagem realiza desejos. Esse tipo de narrativa é bem antiga. Quem não se lembra de alladin e o gênio da lâmpada?

Narrador 2 Só que o homem mau só pensava nele. Ele pede bens materiais e apenas isso. Muito ouro e um castelo Mas ele decide impedir que os outros também tenham seus desejos realizados pela mulher.

Trecho do filme “… Mas o homem era tão egoísta que ele queria que ninguém nunca mais pudesse fazer pedido nenhum para a mulher”

Narrador 1 E não é que ele gastou o último pedido fazendo com que a mulher virasse pedra?

Narrador 2 Mas por que será que ele fez isso?

Narrador 1 Ah… Vai que alguém chega lá depois dele e pede pra ser ainda mais rico que ele. Só que muita ganância dá nisso. Ele se deu muito mal.

Narrador 2 A montanha de ouro e o castelo viraram pedra junto com a mulher. Esse foi o resultado da ambição desse personagem, que no início parece ser um herói por passar pelos obstáculos, mas depois se revela um verdadeiro vilão.

Narrador 1 Pensando dessa forma, esse personagem fica mais interessante. Ele quebra nossa expectativa porque todo mundo espera que o vencedor que superou os obstáculos seja um herói. Ele está mais pra anti-herói.

Trecho do filme “Ele voltou para casa pobre e os vizinhos dele, que também moravam em volta da floresta, perceberam o que o homem tinha feito e ficaram revoltados.”

Narrador 2 Pobre e desmascarado diante de toda a comunidade. Foi uma boa punição pra ele deixar de ser tão egoísta e aprender a pensar nos outros.

Narrador 1 E o melhor é que o egoísmo dele não deu em nada. Afinal, segundo a crença local, é possível ter um pedido atendido, se for um pedido feito com muita vontade para a pedra dos três pontões.

Narrador 2 O melhor é pensar em como toda essa narrativa busca explicar a origem da pedra dos três pontões, que é um símbolo paisagístico da região, como aparece escrito na cartela final.

Narrador 1 E essas narrativas têm muitos elementos do conhecimento mítico, que sempre acompanhou o ser humano.

Narrador 2 Depois de saber essa história, a gente olha pra pedra dos três pontôes com outros olhos…

Narrador 1 … E com muitos desejos!

TEXTO Alexandre Guerreiro NARRAÇÃO Mariana Lindenberg de Azevedo e Gui Castor

Atividade Cineclubista

A personagem principal é a Senhora dos 3 Desejos, uma mulher mística que vive isolada no alto de uma montanha em uma floresta. Sua casa é cercada de obstáculos difíceis e perigosos. Ela é capaz de realizar até três desejos para quem conseguir ultrapassar essas barreiras que tornam o caminho até ela quase intransponível. Por isso, quase ninguém consegue alcançá-la. Certo dia, um homem ultrapassa todos os obstáculos, num ato considerado heroico. Porém, ao buscar seus 3 desejos demonstra grande ambição e egoísmo pois só quer riquezas materiais (ouro e castelo) e exclusivamente para si, um verdadeiro vilão! 

Ao fazer o terceiro pedido, o homem deseja que a mulher virasse pedra – o que de fato acontece. Porém, dado ao poder especial dela, isto volta-se também contra ele e seus desejos: ouro e castelo também viram pedra. No filme, é desta forma que explica-se o formato da Pedra dos 3 Pontões  (reconhecido símbolo paisagístico do município de Afonso Cláudio), o curta-metragem destaca valores importantes de reconhecimento do patrimônio natural e cultural e a história  renova o pertencimento e a identidade local.

A partir do filme, discuta com os alunos a arte de criação de personagens

Quais os valores positivos e negativos que podem compor um herói ou um vilão? O herói é sempre uma pessoa sem falhas? E o vilão? Às vezes pode ter qualidades?

  1. Sugira aos alunos que contem uma história em que o personagem se caracteriza inicialmente como herói, mas com o desenrolar da história revela sua verdadeira face de vilão.
  2. Em roda, criem a história. Cada aluno deve falar uma frase e passar para o próximo aluno ir completando a história.
Mostras, Festivais e Prêmios

9º Baixada Animada – Mostra Iberoamericana de Cinema de Animação – RJ;

III Mostra Curta Colorado – ES;

3º Maranime – Festival Maranhense de Animação – MA;

4º FECIN – Festival de TV e Cinema do Interior – ES;

Festival Internacional de Curtas do Rio de Janeiro - Curta Cinema 2015;

14ª edição do Primeiro Plano – Festival de Cinema de Juiz de Fora – MG;

3ª Mostra de Cinema de Gostoso – RN;

Curta Taquary – Festival Internacional de Curta Metragem – PE;

II Edição Cine Jardim – Festival de Cinema de Belo Jardim – PE;

15ª Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis – SC;

XI Mostra Produção Independente – CENÁRIOS;

6º Festival Internacional de Animação de São Gonçalo – Anima-São;

Cartaz 124
Sem título-1

Ficha Técnica

Roteiro, Direção e Animações
Alunos da Escola de Ensino Fundamental José Cupertino

Orientação de Roteiro
Rosaria

Orientação de Animação
Rosaria
Perin
Ariane Piñeiro

Produção das Oficinas
Gabriela Nogueira
Sheila Shunk
Yvana Belchior

Digitalização de Imagens
Núcleo Animazul
Ariane Piñeiro
Irson Barbosa
Marinéia Anatório
Benício Ramos

Edição e Finalização
Marcelo Perin

Trilha Sonora, Edição de Som e Mixagem
Pedro de Alcântara

Narração
Julia Simões
Fernanda Machado
Gabriela Molinare

Assessoria de Comunicação
Simony Leite

Coordenação Técnica
Nildo Neves

Coordenação Administrativa
Patricia Cortes

Coordenação Geral
Beatriz Lindenberg

Realização
Instituto Marlin Azul

---------

Filmes relacionados: Cartilha Socioambiental 

#8
Transpostal
#7
Insano Jazz
#6
Zecaparaó
Alunos da oficina de animação do MoVA Caparaó
#4
Congo de Vitória
Alunos do Núcleo de Formação Audiovisual Animazul
#5
Amor Mascarado
Alunos da Escola do Campo e Estação de Ciências Margarete Cruz Pereira – Cariacica (ES)
#3
O Bicho do Buraco
Alunos da Escola Benônio Falcão de Gouveia e Ponto de Cultura Animazul / IMA
Com podcast 5419
Atividade Cineclubista Fabulando o real
plugins premium WordPress

Assine nossa newsletter

* obrigatórios